O TEATRO INFANTIL DA CRUELDADE

Casamento pedófilo em massa ou desfile dos noivos com as damas de honra irmãs menores das noivas?

Casamento pedófilo em massa ou desfile dos noivos com as damas de honra irmãs menores das noivas?

O site De Olho na Mídia reproduziu a 27/08/2009 a denúncia de Paul Williams postada em The Last Crusade a 07/08/2009 sobre o “casamento pedófilo em massa” em Gaza como “furo” mundial e nacional. Mas, a bem da verdade, antes de The Last Crusade e de De Olho na Mídia, o caso foi postado a 02/08/2009 pelo anônimo “The Eye” em Road 90 e a 04/08/2009 neste blog, com o link para o impressivo vídeo que justificou a denúncia, também postado em We Jew.

A propósito do caso em pauta, num informe postado a 04/08/2009 no site World Net Daily, porta-vozes do Hamas, entrevistados por Aaron Klein, negaram com veemência que as 450 meninas vestidas de noiva que aparecem nas imagens supostamente manipuladas do evento que a organização terrorista democraticamente eleita promoveu a 29/07/2009 fossem as verdadeiras noivas. As meninas seriam as irmãs menores das noivas, as pequenas “damas de honra”, que tradicionalmente se vestiriam daquela maneira, isto é, exatamente como as noivas.

Contudo, para refutar a suposta “calúnia”, ou seja, a manipulação das imagens do casamento em massa (evento em si mesmo monstruoso, e politizado, como se pode ver pelas bandeiras ostentadas), o Hamas precisaria apresentar as imagens das “verdadeiras” noivas que se casaram na ocasião. Nenhuma noiva adulta é vista nos arredores. Estavam escondidas das câmaras? Chegaram depois da festa? É ainda notável que as 450 noivas possuam 450 irmãs menores… De qualquer forma, o mundo aguarda ansioso o tradicional álbum de fotografias dos casais adultos do enlace massivo como definitiva contraprova das imagens das noivas-meninas que circulam na internet, nos blogs, no YouTube, chocando a todos: seria um alívio para o mundo civilizado e suas organizações humanitárias que sutentam a causa palestina saber que aquelas 450 meninas não foram abusadas por 450 milicianos do Hamas…

Por outro lado, o abuso das crianças palestinas tem sido a regra sob as sucessivas lideranças da Autoridade Palestina. Somos assolados pela quantidade de notícias assombrosas que revelam como a infância tem sido violentada pelas autoridades palestinas com o consentimento de suas famílias e a complacência das organizações de Direitos Humanos, da ONU, da UNICEF. As crianças palestinas não cessam de ser educadas para a morte, seus corações e mentes continuam, a despeito dos protestos, sendo envenenados por injeções massivas de ódio racial e de ódio político. Nem mesmo na Alemanha nazista a doutrinação das crianças foi tão penetrante.

O Intelligence and Terrorism Information Center postou recentemente imagens de um grupo de crianças de jardim de infância carregando armas de plástico, um modelo do Domo da Rocha em Jerusalém e bandeiras palestinas numa performance de “dança da vitória” sobre “cadáveres de soldados do Exército de Israel” interpretados por outras crianças, em evento organizado a 3 de junho de 2009 pela Sociedade Dar al-Huda no Rashad al-Shawa Center, em Gaza. Os familiares das crianças assistem orgulhosos à pecinha, “como uma produção escolar de Cinderella, apenas genocida”, observou Omri Ceren, do blog Mere Rhetoric, que reproduziu a notícia. Enfim, nada é impossível na “República de Salò” montada em Gaza, sob a Administração do Hamas – nem mesmo esse espantoso teatro infantil da crueldade:

Crianças palestinas encenam a conquista de Jerusalém sobre "cadáveres" de soldados israelenes.

Crianças palestinas encenam a conquista de Jerusalém sobre "cadáveres" de soldados israelenes.